Continue" />

Instalação e personalização do ZSH

29/03/2018 Mateus Malveira Linux personalização plugin produtividade shell terminal zsh

O ZSH é um shell interativo que pode ser utilizado como um poderoso intérprete de linguagem de script que conta com grande  capacidade de ser configurado e personalizado.
Sua primeira versão foi criada em 1990 por Paul Falstad, que derivou esse nome do nome de seu professor Zhong Shao.

Vantagens

Converte o nome do processo em PID

Por exemplo, caso você queira forçar o encerramento de um processo como firefox. Ao digitar: kill fir<tab> o programa irá converter para número do seu PID (process id) correspondente.

Autocomplete Inteligente

Se o usuário digitar cd<tab> ele irá listar todas as pastas do diretório permitindo que você navegue por ele e escolha a pasta desejada. O mesmo funciona para o ls.

Histórico

Caso já tenha digitado um comando na sua máquina, quando o fizer novamente o zsh mostrará o início dele permitindo que você possa autocompletar.

Personalização

Através do framework oh-my-zsh, o zsh permite adicionar plugins, possibilitando uma maior personalização. Por exemplo, vejam o tema que eu utilizo em minha máquina.

Personalização

Primeiro instalamos o ZSH

Instalação ZSH

Linux Mint, Ubuntu e Debian

Arch Linux/Manjaro

Fedora/CentOS

Colocando o ZSH como shell padrão.

Instalando o Oh-my-ZSH

Via Curl

Via wget

Download do Tema powerlevel9k

Caso você não tenha o git instalado, basta instalá-lo através dos comandos.

Linux Mint, Ubuntu e Debian

Arch Linux/Manjaro

Fedora/CentOS

Download do Tema

Configurar Tema

Abra o seguinte arquivo com o seu editor, por exemplo o gedit.

No meu caso como utilizo o Linux Mint 18.3 o meu editor padrão é o xed, logo

Copie o seguinte conteúdo e substitua no arquivo aberto.

Altere a seguinte variável pelo nome do seu usuário.

E por fim, salve o arquivo.

Plugins

A maior vantagem do ZSH é a adição de Plugins, você pode adicioná-los através do arquivo editado anteriormente.

Procure pelo seguinte bloco:

Como pode ver, já adicionei alguns plugins interessantes.

  • git – provém muitos aliases funcionais para o git . Veja Mais
  • zsh-syntax-highlighting – Ajuda na revisão de comandos antes de executá-los, particularmente na captura de erros de sintaxe.
  • zsh-autosuggestions – Sugere comandos baseados no seu histórico.
  • dnf – Este plugin facilita a adição de aliases aos comandos mais comuns. Veja Mais

Existem vários plugins disponíveis. Veja neste link.

Personalizando o Terminal

Ainda no mesmo arquivo, procure a seguinte linha, que mostra os elementos que aparecem do lado esquerdo e direito do terminal, respectivamente:

Os seguintes elementos estão no lado esquerdo:

  • os_icon – Ícone do sistema operacional
  • dir – Diretório em que você se encontra
  • rbenv – Informações sobre o ambiente Ruby
  • vcs – Informações dos repositórios git ou hg

Já do lado direito estão os seguintes elementos:

  • status – Retorno do codigo anterior.
  • root_indicator – Indica se você está no modo superusuario (Root)
  • ram – Mostra o espaço livre na memória RAM.
  • time – O horário atual do sistema.

Existem diversos elementos que você pode adicionar. Como por exemplo:

  • ip – Retorna seu indereço de IP.
  • public_ip – Retorna o endereço de ip público.
  • battery – Retorna o status da bateria.
  • disk_usage – Uso do disco da sua partição atual.
  • ssh – Indica se você está ou não em uma sessão SSH.
  • swap – Indica o tamanho atual do Swap.
    Também existem elementos utilizados em linguagens de programação.
  • go_version – Mostra a versão atual do GO.
  • node_version – Mostra a versão atual do Node.js
  • php_version – Mostra a versão atual do php
    Caso você trabalhe com cloud também há opções disponíveis.
  • docker_machine – Conteiner atual do Docker.
    Existem diversas opções de customização confira aqui.

Alterar fonte do terminal

Caso você feche e abra o terminal, notará algo de estranho, vai parecer que está com algum bug, mas calma, só precisamos alterar a fonte utilizada.

Abra o terminal, clique em editar, preferencias do perfil. Em fontes, altere para HACK NF REGULAR

Pronto. Agora você tem um shell poderoso e personalizado.

 

Compartilhe nas suas redes sociais

MaTEus Malveira

Aluno de Engenharia de Computação. Distro Predileta: Linux Mint [Por liberdade e elegância!!]

Eventos


2 º Encontro Presencial

26/03/2018 Sobral, CE


[Palestra] Introdução ao Linux

02/03/2018 Sobral, CE


[Evento] FLISOL 2018

28/04/2018 Sobral, CE


Outros Projetos